terça-feira, 4 de agosto de 2009

Resumo e Resenha: como fazer

Embora eu tenha feito 5 anos de faculdade pra me formar Psicóloga, só agora, na Pós, é  que eu fui aprender o passo-a-passo das resenhas e resumos (não me perguntem como eu me virei durante a graduação). Brincadeiras à parte, o fato é que muitos de nós já têm uma noção do que seja, e é com  essa noção que a gente vai levando – e poucos são os que reclamam (imagino que muitos dos nossos professores também estejam nesse domínio da vaga noção: ok, péssimo panorama! Mas é o que eu imagino.) Bom, então chega de enrolação e  vamos ao que interessa. Espero que o ‘como fazer’ que eu vou compartilhar com  vocês tenha alguma serventia. Bom proveito!

RESUMO

O objetivo de um resumo é fazer um texto ocupar menos espaço, mantendo as ideias principais (ou centrais). Existem três tipos:

1) resumo acadêmico – objetivo, direto, ideias centrais;

2) extensivo – não se pode suprimir nada; só mudam as palavras;

3) seletivo/estético – ideias importantes, centrais.

O resumo possui algumas etapas que devem ser consideradas:

a) conhecimento das condições do resumo

- espaço ocupado (quantas laudas)

- finalidade pretendida

- leitura atenta do texto a ser resumido – essencial que se tenha um bom conhecimento e entendimento da obra. Sem isso, será muito difícil produzir um resumo fiel ao conteúdo original

b) processo – estruturação de ideias: como as ideias estão estruturadas no texto? Por blocos de sentido (ou conteúdo) ou por parágrafos?

Por blocos de sentido: o autor não desenvolve cada ideia em um parágrafo, mas faz muitas digressões, voltando a assunto anteriormente tratado, retomando a ideias já combatidas, etc. Os textos freudianos seguem essa estruturação.

- A melhor maneira de resumir textos que têm esta estruturação é por unidade de sentido, concentrando o sentido no parágrafo. Exemplo: num texto em que duas teses antagônicas são apresentadas pelo autor na forma de blocos de sentido, o resenhista irá reunir todas ideias referentes à tese A num parágrafo e todas as que se referirem à tese B em outro parágrafo.

Como se identificam as unidades de sentido: através da identificação dos conectores:

-mas/porém: indicam oposição entre ideias;

- embora: indica concessão;

- na verdade/assim: demonstração.

Por parágrafos: as ideias são desenvolvidas parágrafo a parágrafo. Sem dúvida, é mais fácil resumir este tipo de texto, pois a sequência lógica das ideias permite fazer um resumo por parágrafos, seguindo a ordem dos parágrafos do texto.

c) Estratégias:

- o resumo não apresenta introdução: vai direto ao assunto;

- segue-se a ordem do texto, assim se evita a falta de coesão no encadeamento das ideias;

- não se mencionam elementos estranhos ao texto analisado, como exemplos e ideias que o autor não expressou;

- redige-se o resumo como se o próprio autor o fizesse: não usar expressões como “o autor afirma”, “ segundo o autor”;

- o resumo não contém conclusões a que o autor não chegou.

 

RESENHA

A resenha que será abordada aqui é a resenha acadêmica, mas nada impede que possa ser usada em diferentes contextos. Tudo vai do bom-senso. Pois bem.

A resenha é a apresentação do conteúdo de uma obra, acompanhada de uma avaliação crítica. Existem dois tipos de resenha acadêmica:

a) resenha crítica – geralmente a mais pedida pelos professores;

b) resenha temática.

Resenha crítica:

Podemos dizer que a resenha crítica é constituída por seis passos:

1) identificação da obra – título, autor, ano de publicação, referências sobre o autor (sua formação, áreas de interesse,etc.);

2) apresentação breve da obra – tema abordado pelo livro ou texto que se está resenhando;

3) resumo – nesta parte, apresenta-se ao leitor a descrição do conteúdo da obra na forma de um resumo com as suas  ideias centrais. Importante salientar que no resumo (como vimos) não se usam expressões como “segundo o autor…”. O resumo deve ser escrito como se o próprio autor do texto o estivesse fazendo, só que se enfatizam apenas as ideias centrais, de forma concisa (de 3 a 5 parágrafos);

4)  Análise crítica – aqui é a vez de o resenhista analisar criticamente a obra em questão. Para isso, ele pode (e deve) se apoiar em outras obras que versam sobre o mesmo tema, construindo, assim, o seu posicionamento acerca da atualidade e originalidade da obra, das escolas de pensamento às quais se vincula, qual a relevância do tema, o que traz de novo, qual o panorama cultural, social, econômico e político em que ela foi escrita, entre outros aspectos que podem ser analisados;

5) Recomendação da obra – na verdade, a recomendação não é uma regra. Se você não concorda com as ideias desenvolvidas pelo autor, não precisa recomendar só pra cumprir o protocolo;

6) Assinatura e identificação do resenhista – é importante que o leitor saiba quem é você para estar falando de determinado assunto, então não esqueça de mencionar sua formação, áreas de interesse e alguns detalhes que julgar pertinentes sobre você mesmo.

Resenha temática:

Este tipo de resenha é usado quando se quer escrever sobre um tema comum a vários textos. Aqui, temos cinco passos:

1) apresentação do tema comum  - exemplo: atuação do psicólogo em varas de família. Esse tema é abordado pelos 3 textos que serão analisados. Temos o tema comum);

2) resumo dos textos – lembrando que no resumo NÃO cabem expressões como “o autor pensa”, “segundo o autor”. É como se você fosse o autor do texto e tivesse que enxugá-lo até as partes mais essenciais (ideias centrais);

3) conclusão: é o momento da análise crítica. O resenhista irá expor o seu posicionamento acerca do assunto. Para isso, ele se utilizará de outras fontes bibliográficas e construirá com base nelas uma argumentação coerente e plausível sobre o tema. Pontos importantes a serem considerados nesta análise: a relevância do tema, os pontos altos, o atualidade do tema, as contribuições de outros pensadores acerca da questão.

4) apresentação das fontes – referências bibliográficas utilizadas.

5) assinatura e identificação do  resenhista – como na resenha crítica.

 

Meus agradecimentos à professora Gabriella, por me dar essas preciosas informações que hoje compartilho com vocês.

11 comentários:

Eduardo Araújo disse...

Obrigado, vou indicar aqui do seu blog para os alunos.

JManga Rosa Cosmeticos Artesanais disse...

Brigadao!Me ajudou muito num trabalho de escola :D

Andressa disse...

Muito obrigada pelos esclarecimentos a cerca do assunto, muito útil para meus trabalhos da faculdade.

Contribuição disse...

Que maravilhoso era tudo que eu estava precisando muito obrigada um mega bj.
Valeu!!!

DONATO PEDRO GINOTE DOS SANTOS disse...

O meu obrigado a prof. Por me ter ajudado a compreender mais sobre o resumo e a resenha.

Echo disse...

Muitissimo útil!!

obrigada!

. disse...

Oi tudo bem?
Você pode me dizer, quantas laudas deve ter uma resenha?

Obrigado

Dayane Marx disse...

Meus parabéns, Bia!

Você sabe explicar muito, muuuito bem!!!
Já salvei em favoritos.

Obrigada!!

Carol Félix disse...

Excelente!!!
Na faculdade não é explicado precisamente em como fazer resenha, os professores só dizem que é um resumo crítico feito por especialistas no assunto, mas, não explicam em detalhes de como é feito uma resenha.
obgda

rosa disse...

Obrigada por dividir seus conhecimentos.

Bárbara Felicianoo disse...

Mt obg, já não vou tirar zero na prova õ/ kkk :3